Quem Ousa, Vence!

"Como se se pudesse matar o tempo sem lesar a eternidade" Henry Thoreau (1817 - 1862) Ano XI

11.3.06

Lampiões


"Um benfiquista a sério tem aspirações irrealizáveis. Um sportinguista a sério quer que a equipa do Sporting jogue bem, Um portista a sério quer que a equipa do Porto seja aguerrida. Um benfiquista a sério quer que a equipa do Benfica seja 'o Benfica'. E ser 'o Benfica' é quase impossível especialmente para o Benfica. Isto porque um benfiquista a sério é seriamente doente. O Benfica bem pode ganhar um jogo por quatro ou cinco, que nós saímos da Luz a dizer: 'Não jogámos nada, pá.' Isto é, evidentemente, um elogio. É por isto que nós somos o Benfica. Não nos contentamos com sermos os maiores. Sabemos que podemos ser ainda melhores do que aquilo. Podemos ser 'o Benfica'. E temos todas as condições para sê-lo, uma vez que, curiosamente, já somos o Benfica.

Um benfiquista a sério exige aos jogadores que sejam mais do que são. (...) E um benfiquista a sério é um benfiquista a sério. Não é simpatizante do Benfica. O Benfica não desperta sentimentos menores como a simpatia. Só gera de amor para cima. E é um amor exclusivo. Lembro-me de, um dia, ter tido esta conversa com o meu pai: Ele: Más notícias, filho. Quando vínhamos para casa, a seguir ao empate do Benfica, a tua mãe caiu e partiu os dois braços e as duas pernas. Eu: Eh pá, não acredito. O Benfica empatou? Claro que isto nunca aconteceu. É um exagero que eu uso aqui, com fins estilísticos. A minha mãe não tinha partido os dois braços mas só uma das pernas. (...)"

in "Visão", RAP, 05Mai2005