Quem Ousa, Vence!

"Como se se pudesse matar o tempo sem lesar a eternidade" Henry Thoreau (1817 - 1862) Ano XI

27.3.06

Talento

"Eu sou um homem, que a Medicina fez médico, e que tem guiado a sua vida pela parábola evangélica dos talentos, tentando pôr a render aquilo que recebi pela genética, e aquilo que aprendi pela educação. (...) Sou muitas vezes julgado de um modo que, no meu entender, não corresponde exactamente àquilo que sou e esta incoordenação, ou desfazamento, entre aquilo que penso de mim próprio e aquilo que aparento é, certamente, uma fonte de angústia. No meio desta necessidade de representação, que o facto de ter alguma forma de exposição pública sempre impõe, sou extremamente tímido e, em grupos pequenos, fico de um modo geral calado. Não gosto de disputar o terreno, o que me leva, por exemplo, a nunca ter participado em debates de televisão com três ou quatro pessoas. Sinto-me muito mais à vontade a falar para uma audiência de dezenas ou centenas de pessoas. Daí também que tenha e mantenha uma necessidade de, ao longo da vida, fazer um exame constante daquilo que sou, do que vou fazendo, cumprindo uma exigência que é mais um imperativo biológico do que um imperativo moral. Sinto que não me consigo libertar do sentimento do dever, de um certo ascetismo."

in "Pública", Prof. Dr. João Lobo Antunes, 26Mar2006