Quem Ousa, Vence!

"Como se se pudesse matar o tempo sem lesar a eternidade" Henry Thoreau (1817 - 1862) Ano XI

8.5.06

120 anos (8 de Maio de 1886 - 8 de Maio de 2006)


(Still Life with Flowers, Pierre-Auguste Renoir, 1890)

(...) O que [hoje] se assinala são os 120 anos do 'nascimento' de uma bebida, mas, mais do que isso, da marca número um (registada desde 1893) do planeta. (...) De entre todas as palavras susceptíveis de serem entendidas até na mais remota parte do mundo, 'Coca-Cola' só perde o pódio para 'OK'."

"(...) Quando John S. Pemberton, levou o xarope que serve de base à Coca-Cola a uma farmácia de Atlanta, na Geórgia, a 8 de Maio de 1886, ele acreditava que a sua invenção era a cura de muitos males: dependência da morfina, dispepsia, neurastenia, dor de cabeça e impotência.

(...) A primeira dose do 'remédio estimulante' depois imortalizado como Coca-Cola foi vendida por cinco cêntimos pelo seu criador, John S. Pemberton, ao balcão da Jacob's Pharmacy (...). O ex-tenente-coronel do Exército transformado em farmacêutico chamou-lhe Pemberton's French Wine Coca. Explique-se: a sua inspiração foi uma invenção do colega corso Ângelo Mariani, que em 1863 serviu em França o seu Vin Mariani, uma mistura de vinho tinto Bordéus e extracto de folhas de coca (a bebida foi proibida, em meados da década de 1910, mas Mariani já estava rico).

(...) O êxito da bebida criada por Pemberton não foi imediato: dia em que a Jacob's Pharmacy vendesse mais de dez copos já era bom dia. A chave do êxito foi um investigador-visionário chamado Asa Griggs Chandler: comprou o negócio em 1887, adaptou a fórmula da bebida aos gostos dos consumidores e às exigências da lei. E apostou tudo na publicidade, que transformou o xarope em íncone nacional e depois global.

in "Público", 07Mai2006