Quem Ousa, Vence!

"Como se se pudesse matar o tempo sem lesar a eternidade" Henry Thoreau (1817 - 1862) Ano XI

9.9.07

Actualidade: Crise financeira

(The Astronomer, Vermeer, 1668)

A recente crise financeira do mercado imobiliário norte-americano de alto risco, denominado de sub-prime, originou uma escassez de liquidez, provocada pelo incumprimento dos empréstimos e a falência de vários fundos de investimento cujos activos eram securitizações expressas em obrigações hipotecárias dessa mesma dívida. Nomeadamente, os hedge funds cuja alavancagem suportada em leverage (financiamento) é mais exponencial. Os Bancos centrais, a Reserva Federal norte-americana (Fed) e o Banco Central Europeu (BCE) foram forçados a injectar liquidez no mercado. No caso do BCE, em sentido contrário à actual conjuntura que aconselha a um aumento das taxas de juro para combater a inflação. Assim, enquanto a Fed reduzia as taxas de juro em 5 b.p. e o BCE mantinha, as taxas do mercado monetário interbancário denominadas de Euribor aumentavam, fruto da dificuldade de financiamento do sistema bancário, e os spreads do crédito alargavam-se como consequência do agravamento dos respectivos prémios de risco.