Quem Ousa, Vence!

"Como se se pudesse matar o tempo sem lesar a eternidade" Henry Thoreau (1817 - 1862) Ano XI

15.10.07

Bibliofilia: "O Agente Secreto (1907)"

(A Lady at the Virginals with a Gentleman, Vermeer, 1662-1665)

Na Londres do séc. XIX - onde proliferam os anarquistas e socialistas como o “Professor”, sempre munido de uma bomba prestes a detonar, o ideólogo Michaelis, apóstolo da liberdade condicional, Alexander Ossipon, o “Doutor”, ex-estudante de Medicina sem licenciatura, e o velho terrorista Karl Yundt -, Mr. Verloc, Adolf de nome próprio, agent provocateur ao serviço duma embaixada estrangeira, “o agente D”, aproveita-se da lealdade do seu jovem cunhado Stevie, o degenerado da família, para levar a cabo um atentado bombista contra o Observatório de Greenwich pressionado por Mr. Vladimir, primeiro-secretário da embaixada estrangeira que o sustentava. Do falhanço do atentado resulta a morte do seu retardado cunhado e o desabamento do seu casamento com Winnie Verloc que num acto de loucura viria a assassiná-lo. "O Agente Secreto" (1907), Joseph Conrad, Relógio D'Água, ed. Abril 2001, 291 pp, 12,12 euros. Sétima leitura no centenário do original deste clássico escrito em 1907. Joseph Conrad nasceu na Ucrânia, no exílio, filho de um revolucionário polaco, durante a ocupação da Polónia pela Rússia, em 1857, e morreu em 1924 no condado de Kent, depois de ter conseguido a nacionalidade britânica em 1884. Este romance policial foi inspirado no atentado de 1894 contra o Observatório de Greenwich.

Etiquetas: