Quem Ousa, Vence!

"Como se se pudesse matar o tempo sem lesar a eternidade" Henry Thoreau (1817 - 1862) Ano XI

3.2.09

Utopia: A República de Hermes (6)


O chefe de governo em Hermes era o Centurião-mor. Só que, algo impensável em qualquer Estado que não fosse utópico, o último Centurião-mor havia sido destituído pelo Grão-Mestre, o penúltimo havia renunciado por troca de funções na Confederação de Zeus e o antepenúltimo, cúmulo dos cúmulos desta imaginação fértil, reconhecendo alguma pretensão, havia também renunciado, mas desta feita, para poupar o país à peste que à época se adivinhava. E, já agora, não tendo este narrador capacidades de oráculo, tinha, por outro lado, aquilo que os anciãos qualificavam como um dedo mindinho que lhe dizia, que o actual não prolongaria no tempo as nobres funções para as quais fora eleito na última centúria. Ah! Cá está mais uma novidade, se duma peça musical se tratasse, estaríamos agora a cometer um interlúdio para designar a centúria como o espaço temporal de quatro anos. Tínhamos então o caduceus, temos também agora a centúria e havemos de ter mais porque esta história há-de continuar...

Etiquetas: