Quem Ousa, Vence!

"Como se se pudesse matar o tempo sem lesar a eternidade" Henry Thoreau (1817 - 1862) Ano XI

3.3.09

Utopia: A República de Hermes (8)


Vimos da última vez que esta república preferia cobrar dez por cento de trinta por cento que quatro por cento de noventa por cento. No entanto, movia-se à velocidade de dois milhões de caduceus por hora de dívida externa que no ano anterior tinha alcançado um acumulado de 17,5 mil milhões. Em Hermes, a cobrança de impostos era maior sobre os rendimentos provenientes do trabalho do que sobre os rendimentos provenientes da riqueza acumulada. Assim, era maior a incidência fiscal sobre um funcionário da administração pública ou sobre um profissional liberal do que sobre os rendimentos do capital obtido no especulativo, dirão uns, ou liberal, dirão outros, mercado local de capitais. É que a Justiça, que se quer isenta, imparcial, objectiva, cega era-o sempre, e não apenas nos domingos de névoa, em última instância, tal a quantidade de processos arquivados por falta de provas. Está mais do que provado o porquê desta história ser uma utopia, uma república desta natureza e organizada desta maneira jamais poderia existir sem sucumbir.

Etiquetas: