Quem Ousa, Vence!

"Como se se pudesse matar o tempo sem lesar a eternidade" Henry Thoreau (1817 - 1862) Ano XI

5.6.09

STOP: Reflexões ao acaso (3)

Ando muito avulso: dou por mim a pensar que o que mais aprecio nas pessoas é o carácter. Quem o tem. Posso até discordar, mas gosto da coerência de atitudes e de gente de convicções. Talvez seja por aí que irei fazer a minha escolha eleitoral do próximo domingo. Ganhei muita ironia ao preconceito, pelo que vai ser interessante observar como será feita a escolha entre um candidato presidencial notável intelectual com um treinador “rústico” e um candidato presidencial “rústico” com um treinador notável erudito. Ali não é novidade. Por outro lado, sou muito intolerante com a incompetência. É como manda o ditado: “cada tiro, cada melro” ou ainda “cada cavadela, cada minhoca”. Era melhor criticar a incompetência, em vez de diabolizar o adversário. Termino, quase como comecei. Sou com alguma regularidade acusado de não ter espírito de equipa. Admito. A vida ensinou-me que isto de espírito de equipa é a mesma coisa que os trabalhos de grupo na escola. Todos dão o nome e um ou dois têm o trabalho. Da escola para a vida profissional, desde que apareça feito, o patrão não se importa com quem o fez.

Etiquetas: