Quem Ousa, Vence!

"Como se se pudesse matar o tempo sem lesar a eternidade" Henry Thoreau (1817 - 1862) Ano XI

23.6.09

Veritas: Notas de rodapé (3)


“Não podia imaginar-me a mim próprio desempenhando um papel secundário, e era precisamente por isso que, na realidade, ocupava tranquilamente o último lugar. Ou herói, ou enterrado em lama até ao pescoço; para mim não existiam os meios-termos. E foi essa a causa da minha perdição. Quando me afundava no atoleiro consolava-me pensando que noutros instantes era um herói; e o herói escondia o atoleiro. Um homem vulgar deve sentir vergonha de se manchar; mas um herói está demasiado alto para que o lodo o salpique e, por isso, pode sujar-se quanto quiser.” (p. 57)

Fiódor Dostoiévski, A Voz Subterrânea, Quasi Edições, 1.ª ed. Agosto de 2008, pp. 126, 1,50 €

Etiquetas: