Quem Ousa, Vence!

"Como se se pudesse matar o tempo sem lesar a eternidade" Henry Thoreau (1817 - 1862) Ano XI

31.7.09

Utopia: A República de Hermes (12)


Será possível que nesta república de indigentes a negociação, a discórdia de opiniões, o debate de ideias ou o politicamente incorrecto seja considerado arrogante, prepotente ou presunçoso quando não perfilhada por alguém de créditos firmados? Não se pode ser elefante nesta loja de porcelana? Ah, e há, nesta república os egos poderosos que raramente ou quase nunca gostam de ser confrontados. E também há os que, por via disso, desistem de ser inteligentes. Acomodemo-nos pois. Tanta crítica, tanto faz que faz mas não faz. Tanto faz (antes) o que eu digo, mas não faças o que eu faço. Tanto moralista no pensamento e tanta imoralidade na práctica. Não se tratasse disto uma utopia e um futuro resignado este destino nos traria, vencidos que somos pelo cansaço. Sejamos, pois então, porreiros, porque, assim como assim, a coisa rola e menos chatices nos traz.

Etiquetas: