Quem Ousa, Vence!

"Como se se pudesse matar o tempo sem lesar a eternidade" Henry Thoreau (1817 - 1862) Ano XI

12.8.09

Ipsis dixit: A subtileza do pensamento (2)


“Por mais medíocre que seja a vossa vida, enfrentai-a e vivei-a; não a eviteis nem a injurieis. Ela não é tão aborrecida como vós o sois. Quanto mais ricos sois, mais pobre ela parece. Quem busca defeitos em tudo encontrará defeitos até no paraíso. Amai a vossa vida, por pobre que seja. O pôr-do-sol espelha-se nas janelas dos asilos tão radioso como na mansão do ricaço, e a neve derrete-se à porta de ambos no começo da Primavera. (p. 355-356) (…) Muitos julgam-se livres de ser sustentados pela cidade, mas o que sucede com maior frequência é que não estão livres de se sustentarem por meios desonestos, o que é bastante indecoroso. Cultivai a pobreza como um jardim de ervas, de salva. Não vos deis ao trabalho de arranjar coisas novas, quer sejam roupas ou amigos. Remendai as roupas usadas, retornai aos velhos amigos. As coisas não mudam, nós é que mudamos. Vendei as vossas roupas e conservai os vossos pensamentos. Deus há-de entender que não desejais companhia. (p. 356) (…) A vida é mais deliciosa no que é mais íntima. (…) O homem jamais perde num nível inferior por magnanimidade num superior. Riqueza supérflua só pode comprar supérfluos. Não é preciso dinheiro para comprar o indispensável à alma.” (p. 357)

Henry David Thoreau, Walden ou a Vida nos Bosques, Antígona, Março 2009

Etiquetas: