Quem Ousa, Vence!

"Como se se pudesse matar o tempo sem lesar a eternidade" Henry Thoreau (1817 - 1862) Ano XI

12.9.09

Momentum: "Carpe diem" (103)


A reiterada condenação à intolerância ao erro pode com inusitada frequência originar a insustentável leveza da irresponsabilidade. O argumento de errar é humano, contrariamente ao comummente pensado tem menos a ver com lapsos ou enganos e mais com a digressão, errância e deambulação do ser humano. E por muito que se arrastem em longas negociações, o objectivo de fazer prevalecer o consenso para chegar a acordo nunca deve ser abandonado, porque apesar de todas as indecisões e a potencial fragmentação do poder muitos já saberão onde votar.

Etiquetas: