Quem Ousa, Vence!

"Como se se pudesse matar o tempo sem lesar a eternidade" Henry Thoreau (1817 - 1862) Ano XI

1.2.10

Momentum: "Carpe diem" (204)


Em Maio de 1983, durante um exercício da NATO, próximo do Estreito de Gibraltar, o submarino português Barracuda, na altura com quinze anos (entrou ao serviço em Outubro de 1968) conseguiu iludir a escolta, composta, entre outros navios, por dois cruzadores, do porta-aviões nuclear USS Eisenhower, aproveitando a zonas de sombra dos sonares dos navios de protecção, e manobrou sem ser detectado para debaixo do Eisenhower acompanhando-o na sua rota. É impressionante a capacidade dos portugueses de extrair o máximo de equipamentos obsoletos, como o país. O Barracuda saiu do activo na semana passada. Depois da venda do Cachalote (1975) ao Paquistão e de serem abatidos ao activo o Albacora (2000) e o Delfim (2005), vem aí o Tridente e o Arpão, em Setembro.

Etiquetas: