Quem Ousa, Vence!

"Como se se pudesse matar o tempo sem lesar a eternidade" Henry Thoreau (1817 - 1862) Ano XI

20.3.10

Momentum: "Carpe diem" (241)


O outrora ponta-de-lança galês e do Liverpool (1980/1987 e 1988/1996), Ian Rush (n. 1961; 1,80 m), foi um dos jogadores mais míticos do futebol britânico na década de 80. Muito contribuiram também os estragos feitos nas contendas com o Benfica: nos quartos-de-final da Taça dos Campeões Europeus, em 1977/1978 (1-2 na Luz e 4-1 em Anfield Road); em 1983/1984 (1-0 em Anfield Road e 1-4 na Luz); e na Taça dos Campeões Europeus (Ian Rush 3-1 em Anfield Road e 1-0 na Luz) da época seguinte de 1984/1985. Quando apenas um jogo de todos os disputados havia sido ganho pelo Benfica, surgiu então isto. Tal como o médio-ala ofensivo norte-irlandês Norman Whiteside (n. 1965; 1,88 m) a quem uma lesão precoce colocou um ponto final na também precoce carreira de jogador (estreou-se aos 17 anos na Selecção norte-irlandesa) ao serviço do Manchester United e, posteriormente, do Everton, cujo auge foi alcançado na final da FA a 18 de Maio de 1985 ao marcar o golo da vitória. Do tempo em que a Premier League era predominantemente constituída por ingleses, galeses, escoceses, norte-irlandeses e irlandeses e o futebol era da Velha Albion. Seguir-se-ia o seu alter ego: o irlandês John Aldridge (n. 1958; 1,81 m).

Etiquetas: