Quem Ousa, Vence!

"Como se se pudesse matar o tempo sem lesar a eternidade" Henry Thoreau (1817 - 1862) Ano XI

18.4.10

Momentum: "Carpe diem" (260)


Há duas emblemáticas empresas a atravessar sérias dificuldades, que é como quem diz, à beira da falência. A primeira, é o jornal i, lançado ainda muito recentemente, em Maio de 2009, com um passivo de 600 milhões de euros e cem jornalistas. Conceito inovador (agrafado) com um design que lhe granjeou prémios, colunistas mais jovens, está à venda por um euro, porque o seu principal accionista, a Construtora do Lena, lembrou-se onze meses mais tarde que a exposição ao negócio core (construção civil e ambiente) consome demasiados recursos que não podem ser alocados ao i. O seu director Martim Avillez Figueiredo (n. 1972) demitiu-se sexta-feira. Tinha sido director do Diário Económico (2004) e confiou em construtores civis para accionistas de um projecto de comunicação social. A segunda, é a Papelaria Fernandes com um passivo bancário ao Millenniumbcp de 38,8 milhões, ao BANIF de 3,5 milhões e 3,3 milhões de euros de dívidas às Finanças. Com 20 lojas e 120 trabalhadores. Os seus accionistas são: Joe Berardo com 19,83%, José Morgado Henriques (actual ex-presidente da empresa) com 24,85% e a Fundação Ernesto Estrada com 32,82%. Factos à atenção de eventuais vencedores do Euromilhões. Excêntricos, portanto.

Etiquetas: