Quem Ousa, Vence!

"Como se se pudesse matar o tempo sem lesar a eternidade" Henry Thoreau (1817 - 1862) Ano XI

12.5.10

Momentum: "Carpe diem" (277)


Abandonei Dmítri Olénin à sorte das estepes para lá do Don, com a promessa de revisitá-lo em tempo mais oportuno, movido pela curiosidade sobre essa Lucrécia Neves, mas sem os dotes de Pigmaleão para construir a mulher perfeita, senti-me perdido em S. Geraldo e, omisso de qualquer peso na consciência, com ânimo leve segui caminho em pleno Agosto para a Costa Brava da Catalunha onde me esperava esse underdog alemão para comigo partilhar a mesa de jogo. Desta feita, completa a tarefa, não sem ter sofrido um amargo de boca, porque, na verdade, o que parecia uma harpa veio a revelar-se uma vuvuzela, fui cativado ainda durante o Verão pela pesquisa de Vicent na reconstrução em vida do falecido escritor J.M. Coetzee. E num ápice traguei um terço, uma vez que todos os sinais – a começar pela epifania do desconto de vinte e cinco por cento na aquisição, tanto como a talhada que oportunamente vai levar o nosso subsídio de Natal – auguravam um bom presságio.

Etiquetas: