Quem Ousa, Vence!

"Como se se pudesse matar o tempo sem lesar a eternidade" Henry Thoreau (1817 - 1862) Ano XI

26.5.10

Momentum: "Carpe diem" (292)


E quando alguém tem algo de muito valor, e com enorme potencial, e aparece um poderoso comprador a qualquer custo? Vendemos, sabendo que vamos ficar milionários a curto prazo, mas também com a certeza de indefinição a longo prazo? Hipotecamos o futuro? Se for um particular, poderá esturricar confortavelmente a maquia. Mas se se tratar duma instituição com deveres perante os parceiros (stakeholders: accionistas, clientes e colaboradores). Onde investir para rentabilizar o capital ganho? Não vender e procurar encaixar a gradual valorização do actual activo? Eis o dilema de qualquer decisor. Tanto posso estar a falar da oferta da operadora espanhola de telecomunicações, Telefónica, sobre os 50% detidos pela Portugal Telecom na operadora de telecomunicações móveis brasileira Vivo, no montante de 5,7 mil milões de euros, como da oferta de 40 milhões de euros do Real Madrid pelo Angel Di María.

Etiquetas: