Quem Ousa, Vence!

"Como se se pudesse matar o tempo sem lesar a eternidade" Henry Thoreau (1817 - 1862) Ano XI

4.11.10

Momentum: "Carpe diem" (391)


Irritam-me exponencialmente aquelas canetas que, já com o bico deformado e ultra gasto, continuam a verter indeterminadamente tinta como se o amanhã não tivesse fim, pois o meu apego ao não desperdício leva-me a mantê-las até conseguir vislumbrar o derradeiro final. O mesmo apego, sem ser sovina, de já em esforço acabar de ler um livro nada entusiasmante ou estar determinado a não deixar escapar nenhuma das notícias do jornal, porque é muito saboroso o sentido de missão cumprida. De estar, ou ser, completo, mesmo que não guarde saudades.

Etiquetas: