Quem Ousa, Vence!

"Como se se pudesse matar o tempo sem lesar a eternidade" Henry Thoreau (1817 - 1862) Ano XI

7.12.10

Momentum: "Carpe diem" (412)


Ao rever Caça ao Outubro Vermelho / The Hunt of Red October, John McTiernan (1990), fez-me pensar – e tudo o que nos faça pensar é “dinamite cerebral", outrora, para os anarquistas e, agora e sempre, para o Pacheco Pereira – naquela jogada que torna a fuga impossível e a derrota inevitável: o xeque-mate. A peça, o rei, encontra-se ameaçado e não tem casa de saída, não fica apenas limitado nas suas opções, estas pura e simplesmente não existem, não tem alternativas ao fim anunciado. Não vale a pena estudar todas as possibilidades, pois não as há. O rigor deste plano não deixa nada ao acaso, baseado na sorte, tudo foi programado e nada jamais pode falhar nessa jogada. Quando o lituano Marko Ramius forja um plano para desertar e entregar o inovador submarino aos norte-americanos, estes sabem que têm de simular a sua destruição seguindo a tese apresentada pelos soviéticos de que era um renegado que ameaçava os Estados Unidos, mas ao mesmo tempo deixando a respectiva tripulação incólume, e na ignorância, para repatriamento.

Etiquetas: