Quem Ousa, Vence!

"Como se se pudesse matar o tempo sem lesar a eternidade" Henry Thoreau (1817 - 1862) Ano XI

28.12.10

Momentum: "Carpe diem" (420)


Atribuir o troféu do melhor de 2010 ao espanhol e blaugrana campeão do mundo e de Espanha Andrés Iniesta, preterindo o vice-campeão do Mundo, vencedor da Liga dos Campeões, Scudetto, Taça de Itália, Supertaça e Taça Intercontinental, Wesley Sneijder, é um verdadeiro sacrilégio, só compreensível para não hostilizar os madridistas com o enorme sucesso desse holandês prematuramente dispensado. Quase o mesmo que considerar Sergio Busquets na melhor equipa quando houve Sami Khedira. Já basta Alberto Contador (ciclismo), Rafael Nadal (ténis) e Jorge Lorenzo (Moto GP). Não fosse Sebastian Vettel e ainda teria havido Fernando Alonso (F1). Por cá, o desportista do ano foi, sem sombra de dúvida, Carlos Queiroz pelo consenso que reuniu.

Etiquetas: