Quem Ousa, Vence!

"Como se se pudesse matar o tempo sem lesar a eternidade" Henry Thoreau (1817 - 1862) Ano XI

15.2.11

Momentum: "Carpe diem" (453)


Os remakes acabam sempre em re(bad)makes, foi assim com o Beyond a Reasonable Doubt / A Verdade e o Medo (1956) do Fritz Lang e suspeito que o mesmo sucederá na próxima quinta-feira com a estreia de True Grit / Velha Raposa (1969) de Henry Hathaway. Nem o Peter Hyams nem os insuperáveis irmãos Coen (Joel e Ethan) de Fargo (1996), No Coutry for Old Men / Este País Não É Para Velhos (2007) e A Serious Man / Um Homem Sério (2009), podem estar à altura do que foi feito no passado. John Wayne, Robert Duvall, Glen Campbell e Kim Darby ou Jeff Bridges, Josh Brolin, Matt Damon e Hailee Steinfeld? Esperemos que seja apenas nostalgia. Nunca percebi porque é que o excelente livro de Charles Portis, A Velha Raposa que li na adolescência, por volta de 1986 – juntamente com outros nomes grandes da Western Writers of America como Owen Wister, Zane Grey, Louis L’Amour e Jack Shaefer –, tem um título português mais curto em filme: apenas Velha Raposa. No original é sempre True Grit. Seja na tela ou no paperback.

Etiquetas: