Quem Ousa, Vence!

"Como se se pudesse matar o tempo sem lesar a eternidade" Henry Thoreau (1817 - 1862) Ano XI

30.4.11

Momentum: "Carpe diem" (501)


Há um hedonismo extraordinário no empenho e dedicação que o príncipe Carlos de Gales coloca na defesa de causas como o ambiente, em causas sociais tais como na angariação de fundos para a Fundação de Jovens Artistas, ou na forma como faz lobby junto de importantes instituições políticas, seja no Reino Unido ou na União Europeia. O epicurismo das suas caminhadas, com que fala da sua propriedade de agricultura biológica, em Highgrove, das sementes, das suas árvores ou das suas vacas, com que se opõe aos fertilizantes, à industrialização agrícola que prejudica os solos e a produção de alimentos saudáveis, sempre numa voz suave e delicada, próprio de um nobre, contrasta com as críticas contundentes daqueles que defendem um papel menos interventivo, indolor, anódino, inodoro, mais simbólico, mais plástico, de bibelot. Se é um dos motivos que ameaça a monarquia britânica, que seja. Descontando a minha colossal anglofilia, tudo noutra civilização, na BBC Entertainment.

Etiquetas: