Quem Ousa, Vence!

"Como se se pudesse matar o tempo sem lesar a eternidade" Henry Thoreau (1817 - 1862) Ano XI

11.5.11

Momentum: "Carpe diem" (505)


Há bastante tempo que tenho a certeza que NÓS os portugueses somos um povo honesto e pouco sério. (“E” e não “mas”.) No rescaldo da recente catástrofe, os japoneses recolhem todo o dinheiro, carteiras e haveres pessoais para entregarem-nos às autoridades, não ficando com nada. Nós somos mais: “o achado não é roubado.”

Etiquetas: