Quem Ousa, Vence!

"Como se se pudesse matar o tempo sem lesar a eternidade" Henry Thoreau (1817 - 1862) Ano XI

12.8.11

Bibliofilia: "O Turno" (1902)

Luigi Pirandello, O Turno, Cavalo de Ferro, 1.ª ed., Abril 2011 (pp. 141). Dom Marcantonio Ravì é uma pessoa despreocupada com o seu bem-estar e desinteressada dos bens materiais, mas pretende casar a sua contrariada jovem filha, Stellina, com o riquíssimo Dom Diego Alcozèr de setenta e dois anos e quatro vezes viúvo. O jovem e eterno pretendente Pepè Alleto vai ter então que esperar pela sua vez, pelo seu turno, porque o ancião revela uma revigorante frescura com o passar do tempo. Esse tempo de espera pode ser antecipado se o irascível e recém-viúvo cunhado de Pepè, Ciro Coppa, advogado de profissão, anular o casamento, com a impetuosidade que caracteriza a prepotência de uma pessoa que não admite: “Prepotências, nem de Deus!” (p. 105). A anulação é consumada com grande sucesso pelo advogado que acaba por ficar com os despojos do saque: Stellina, traindo o atónito ex-potencial candidato a noivo, Pepè Alleto. Mas, no culminar da hilariante sátira social, acaba o próprio advogado por ser vitima mortal de apoplexia, algo que jamais beliscou o idoso Dom Diego Alcozèr, para descontentamento de todos.

Etiquetas: