Quem Ousa, Vence!

"Como se se pudesse matar o tempo sem lesar a eternidade" Henry Thoreau (1817 - 1862) Ano XI

2.8.11

Momentum: "Carpe diem" (546)


A melhor homenagem às vítimas da Coisa foi prestada pelo escritor italiano Claudio Magris quando disse que “é uma vergonha, embora inevitável, registar na memória o nome do assassino norueguês e não os das suas vítimas.” Citado pelo colunista (ou publicista) Jorge Almeida Fernandes, no jornal Público, a quem chama o norueguês de apenas “B” e, por sua vez, também citado pelo escritor, e também colunista na revista de domingo do mesmo jornal, a Pública, Rui Cardoso Martins, a quem apelida o norueguês com quase vários anagramas de Anders Kreibick, Andersen Breivike, Andres Brovnik, Andresen Rejkyavik ou Bandres Airbrik. Em comum, o jornal Público que publicou as fotos e os nomes de grande parte das vítimas da Coisa norueguesa nas páginas centrais.

Etiquetas: