Quem Ousa, Vence!

"Como se se pudesse matar o tempo sem lesar a eternidade" Henry Thoreau (1817 - 1862) Ano XI

3.8.11

Momentum: "Carpe diem" (548)


Finalmente um final feliz para todos os que clamavam dos lucros dos bancos, agora que este caem cinquenta a setenta por cento face ao período homólogo. Grande fatia dos resultados líquidos dos bancos nacionais era sustentada pelas operações internacionais, face à exiguidade do mercado nacional, que terão de ser agora alienadas, juntamente com as participações estratégicas (p.e. PT, EDP e Brisa) em sectores não financeiros, para ajudar a fortalecer os exigentes rácios de capital (Core Tier I 9%, até Dez 2011, e Core Tier I 10%, até Dez 2012) e reduzir o rácio de transformação (crédito vs. depósitos) para 120%. Uma terceira solução passará pelo recurso aos doze mil milhões de euros do fundo de recapitalização que a troika disponibilizou ao Estado para essa finalidade e que, apesar dessa participação financeira estatal no capital dos bancos ser condicionada (não pode ter uma posição maioritária), implica potenciais danos na imagem, credibilidade e na confiança de depositantes, accionistas e stakeholders.

Etiquetas: