Quem Ousa, Vence!

"Como se se pudesse matar o tempo sem lesar a eternidade" Henry Thoreau (1817 - 1862) Ano XI

6.8.11

Momentum: "Carpe diem" (551)


Parece começar a ficar provado que a desgraça do mundo está no princípio da “carneirada”, todos vamos aos mesmos sítios, gostamos do mesmo ou muito parecido, adoptamos o mesmo estilo, partilhamos a mesma moda, investimos nas mesmas coisas, temos os mesmos interesses, amigamo-nos todos no Facebook (e quantos mais, melhor), vamos todos de férias na mesma altura, sofremos das mesmas doenças, usamos a mesmas ferramentas, conseguimos o mesmo sucesso, estamos todos bullish ou estamos todos bearish, até que, por fim, estatelamo-nos bem aconhegadinhos no mesmo crash. Quando tanta gente junta partilha tanta característica em comum, facilita o trabalho do mal e acelera a rapidez do extermínio. Os vírus e a virulência são mais rápidos a espalhar-se. Tal como o rebanho que é atacado pela alcateia. Ou o barco que tomba depois da maioria da tripulação ir para estibordo. Ou ainda no bacalhau que volta à Terra Nova, depois das espécies de que se alimentavam terem comido os seus ovos e provocado o seu extermínio e que, depois de se multiplicaram tanto, conduziram, por sua vez, ao seu próprio extermínio, voltando a dar lugar ao bacalhau. Há quem lhe chame globalização, eu chamo-lhe falta de imaginação ou de como as massas e a massificação são prejudiciais e mais facilmente manobráveis, mas, como declaração de intenção, também sou misantropo e sozinho ninguém consegue mudar o mundo, para o bem ou para o mal.

Etiquetas: