Quem Ousa, Vence!

"Como se se pudesse matar o tempo sem lesar a eternidade" Henry Thoreau (1817 - 1862) Ano XI

26.12.11

Momentum: "Carpe diem" (635)


Em vez de optar pelas trocas do Natal e as promoções do Boxing Day, preferi a maratona dos dez episódios da primeira temporada da série medieval britânica Guerra dos Tronos / Game of Thrones (2011), sobre o Domínio dos Sete Reinos de Westeros, onde “summers spare decades and winters can last a lifetime”, da produtora HBO Entertainment, enquanto o DVD só chega a 6 de Março de 2012 e os próximos dez episódios da segunda temporada ainda não estão prontos, previamente gravado às segundas-feiras no canal SyFy (n.º 68 do MEO).


Com menos luxúria que os catorze episódios de Spartacus: Blood and Sand (2010) ou do que os seis episódios da prequela Spartacus: Gods of the Arena (2010), tão ou mais escatológico, mas com muito menos esguichos de sangue à Quentin Tarantino, diálogos muito superiores e enorme riqueza de personagens, numa história de rivalidades familiares nobiliárquicas, conspirações políticas – onde o diálogo entre os conselheiros do rei, Lorde Petyr “Mindinho” Baelish e o eunuco Lorde Varys, é absolutamente soberbo e revelador de como duas pessoas se podem insultar violentamente sem levantar a voz por oposição a este tempo tão gutural que vivemos –, lutas de poder, regicídios, fratricídios e incesto.

Etiquetas: