Quem Ousa, Vence!

"Como se se pudesse matar o tempo sem lesar a eternidade" Henry Thoreau (1817 - 1862) Ano XI

10.1.12

Cinefilia: "A Céu Aberto" (2003)

Não é propriamente um western convencional, daqueles onde as poses são estudadas, mas o realismo permite observar que são disparados mais tiros do que aqueles que acertam e os tiroteios são atabalhoados. Convencional acaba por ser o enredo comum a muitas outras obras do género. Dois cowboys, “Boss” (Robert Duvall) e Charley (Kevin Costner), que cavalgam juntos há dez anos e, apesar da forte lealdade, pouco conhecem do passado de cada um. A paragem para abastecimento numa pequena cidade isolada na pradaria, enquanto conduzem uma manada, provoca o conflito com o rancheiro local poderoso, Denton Baxter (Michael Gambon), que domina as forças da lei. A sua coragem ao opor-se aos que dominam a cidade mobiliza os até aí amedrontados populares. Argumento recorrente, com Shane (1953) de George Stevens, ou Pale Rider / O Justiceiro Solitário (1985) de Clint Eastwood ou ainda Silverado (1985) de Lawrence Kasdan. No que Open Range / A Céu Aberto (2003) se destaca é na sua alegoria aos valores que escasseiam como a confiança, lealdade e os escrúpulos, onde todos os sentimentos são muito mais revelados do que sugeridos. Enfim, tudo coisas de faroeste e não do nosso civilizado mundo.

Etiquetas: