Quem Ousa, Vence!

"Como se se pudesse matar o tempo sem lesar a eternidade" Henry Thoreau (1817 - 1862) Ano XI

4.3.12

Bibliofilia: "Trabalhos e Paixões de Benito Prada" (1993)

Fernando Assis Pacheco, Trabalhos e Paixões de Benito Prada (1993), Edições ASA, 3.ª ed. Março 1994 (pp. 240). Não há melhor motivo para uma releitura do que a ocasião do aniversário do seu autor já desaparecido. Desde o início do século XX, marcado pelo regicídio, uma família de galegos da cidade de Casdemundo, na região de Ourense, deposita as maiores esperanças no primogénito Benito Prada, filho do afiador Filemón, que aos treze anos vem a salto para o norte de Portugal, descendo até Coimbra, fazer-se homem, depois duma das mais violentas aberturas da literatura, que descreve a vingança da afronta à honra da mãe; Nicolasa, pelos tios, Ruperto Dorriba, Dagoberto e Pejerto, e o avô, Padeiro Velho e com a Guerra Civil de Espanha como pano de fundo. Se quase começa com o assassinato do arquiduque Francisco Fernando termina mesmo com o atentado a Francisco Franco. História de amizades, mas também de escrúpulos, integridade, valores e princípios, onde Casdemundo poderia talvez rivalizar com Macondo. Diz quem conheceu o autor que Galiza e Coimbra não foram coincidência, de obra escassa mas perfeccionista teria feito setenta e cinco anos no passado dia 1 de Fevereiro.

Etiquetas: