Quem Ousa, Vence!

"Como se se pudesse matar o tempo sem lesar a eternidade" Henry Thoreau (1817 - 1862) Ano XI

4.3.12

Momentum: "Carpe diem" (673)


Dizem os estudiosos da sétima arte que as loiras de Hitchcock eram “sofisticadas e glaciares, cheias de classe mas também de inesperada sensualidade” que celebrizaram o paradoxo “entre fogo interior e superfície fria”. Assim foi com Grace Kelly (Lisa Carol Fremont em Rear Window / Janela Indiscreta), Tippi Hedren (Melanie Daniels em Os Pássaros / The Birds, 1963), Janet Leigh (Marion Crane em Psico / Psycho, 1960) e Doris Day (Jo McKenna em O Homem Que Sabia Demais / The Man Who Knew Too Much, 1934), Kim Novak (Madeleine Elster / Judy Barton em Vertigo / A Mulher Que Viveu Duas Vezes, 1958), Eva Marie Saint (Eve Kendall em Intriga Internacional / North by Northwest, 1959) ou Ingrid Bergman (Dr Alice Huberman em A Casa EncantadaSpellbound, 1945, e Constance Pedersen em Difamação / Notorious, 1946). À época a excessiva sensualidade da preterida Marilyn Monroe teria estragado o efeito iceberg da ambiguidade sexual das suas personagens, pelo que a luxuriante e adúltera Nola Rice será apropriada para o papel de loira de Hitchcock do século XXI apenas no making of de Psico.

Etiquetas: