Quem Ousa, Vence!

"Como se se pudesse matar o tempo sem lesar a eternidade" Henry Thoreau (1817 - 1862) Ano XI

7.6.12

Bibliofilia: "A Conspiração Sistina" (1988)

Philipp Vandenberg, A Conspiração Sistina, QuidNovi, 3.ª edição, Junho 2009. Mais uma teoria da conspiração de sotaina. Depois da de Dan Brown, sobre a possibilidade de Jesus ter tido descendência fruto de uma relação com Maria Madalena, em O Código Da Vinci, agora, as pinturas renascentistas do florentino Miguel Ângelo são pretexto para colocar em causa o principal dogma da fé católica: a ressurreição de Jesus Cristo. Facto alegadamente do conhecimento dos nazis que, no final do conflito mundial, chantagearam a Igreja para conseguir a guarda do ouro e tesouros pilhados aos judeus e protecção nos mosteiros antes de se refugiarem na América do Sul com novas identidades. Durante cinco dias, o narrador escuta atentamente a história de um monge homónimo do profeta Jeremias, sendo o mistério, muito a propósito, desvendado na quadra pascal. O resto são conspirações políticas e palacianas que envolvem o cardeal Cascone, secretário de Estado do Vaticano (equivalente ao primeiro-ministro), e o director-geral do Istituto per le Opere di Religione (IOR), também conhecido como Banco do Vaticano. Qualquer semelhança com o actual cardeal Tarcísio Bertone e o recém–demitido Ettore Gotti Tedeschi é pura coincidência. Isto é tudo ficção.

Etiquetas: