Quem Ousa, Vence!

"Como se se pudesse matar o tempo sem lesar a eternidade" Henry Thoreau (1817 - 1862) Ano XI

12.9.12

Bibliofilia: "The Secret Pilgrim" (1990)

John le Carré, The Secret Pilgrim (1990), Penguin Classics, 2011 (pp. 410). O famoso George Smiley não gostava de nostalgia: […] "Smiley, nothing, but that’s the way he wanted. He hates nostalgia, even if he’s part of other people.” (p. 405) No entanto, ao longo de mais de quatrocentas páginas não existe outra coisa que o desfiar de memórias, tendo por cenário a escola de formação de espiões, Sarratt, e o narrador, Ned, um antigo aluno de Smiley agora responsável pela academia, depois de ter caído em desgraça como responsável pela antiga Casa a Rússia. Ficam dois preceitos da lição: primeiro, contrariamente ao senso comum, os espiões, apesar de muito bem preparados, não são perfeitos e cometem erros banais como um vulgar ser humano. Sofrem esgotamentos nervosos e esquecem-se da carteira cheia de nomes confidenciais e informação secreta no tejadilho do carro e julgam perder os óculos quando os estão a usar. Segundo, a queda do Muro de Berlim e o fim do comunismo provou que o mal não vem das ideologias, mas da natureza humana.

Etiquetas: