Quem Ousa, Vence!

"Como se se pudesse matar o tempo sem lesar a eternidade" Henry Thoreau (1817 - 1862) Ano XI

16.12.12

Momentum: "Carpe diem" (817)


O grande mérito do paraguaio Oscar Cardozo é a sua colocação no terreno, o sentido do espaço, que lhe permite estar sempre no sítio certo. Não é dotado tecnicamente e isso observa-se quando tem de cabecear do alto do seu metro e noventa e três. Não tem impulsão e também não é rápido, nem tem bons reflexos. Nem sequer é o facto de não recuar para vir buscar jogo aquilo que o penaliza mais, mas sim a sua capacidade absolutamente extraordinária de desperdiçar oportunidades flagrantes em quantidades aflitivas por jogo. Não tivesse tido equipas com médio ofensivos excepcionalmente dotados (Di María, Ramires, Aimar, Gaitán e Salvio) na sua rectaguarda e modelos de jogo que privilegiam essencialmente o ataque, e a história seria diferente. Por os seus golos serem na maioria de vezes tão confusos (como recentemente contra o SCP), é que leva à controvérsia de quantos golos já marcou. E, claro, se fosse assim tão fenomenal, há muito que teria abandonado a Luz com um razoável encaixe financeiro. Não deixa de ser útil, mas não é isento de crítica. A realidade não tem de ser maniqueísta. A preto e branco. Com dois princípios opostos.

Etiquetas: