Quem Ousa, Vence!

"Como se se pudesse matar o tempo sem lesar a eternidade" Henry Thoreau (1817 - 1862) Ano XI

29.12.13

Momentum: "Carpe diem" (976)


João Miguel Tavares escreveu, na véspera de Natal, na habitual crónica do Público, que a crise gera oportunidades e que quem pensa dessa forma é hostilizado, porque é suposto e aceite apenas o discurso dos males que a crise provoca. Eis um  belo exemplo que, mesmo nas empresas do Estado, é possível aproveitar a oportunidade. Quanto maior o acumular de dívida pública do país (209 803 milhões de euros em Novembro de 2013) que (todos) procuram reduzir, se não mesmo liquidar, maior a comissão de quem gere o stock. Mesmo se quem gere o stock é uma empresa pública do mesmo Estado. Recém empresa pública, porque, antes de Setembro de 2012, era um instituto que não permitia pagar aos seus dirigentes  mais do que o salário do primeiro-ministro (6 850 euros), que simbolicamente aboliu quatro feriados e anda de avião em classe económica. Demagogia por demagogia, então o que pensarão disto a diferença dos 374 871 desempregados que recebem subsídio para os  692 029 que estão inscritos nos centros de empregos?

Etiquetas: