Quem Ousa, Vence!

"Como se se pudesse matar o tempo sem lesar a eternidade" Henry Thoreau (1817 - 1862) Ano XI

23.2.14

Momentum: "Carpe diem" (1 012)


Marcelo surpreendentemente foi ontem ao XXXV Congresso do PSD, no emblemático Coliseu de Lisboa, com o à-vontade com que caracteriza um sexagenário no meio de yuppies. De improviso, fez um discurso mais afectivo e menos racional lembrando a Marco António Costa que jé teve aquela barba há quarenta anos atrás, que quem é lider do partido é o "mordomo" Zeca Mendonça, porque os líderes passam mas o partido fica (Zeca Mendonça), e que o actual primeiro-ministro, sentado na primeira fila, tem um estilo demasiado professoral para provar que o que acabou de dizer, e é tão criticado pelos facciosos ou sectários, é o mesmo que diz aos domingos na TVI. Provou a todos que eles hoje são donos do PSD, mas foi ele e outros que o construíram. Com um estilo natural, espontâneo, autêntico, emocionalmente inteligente, divergiu de forma estrondosa daquela maneira artifical de estar que caracteriza os homens de ambição, do poder, de Estado, austeros, imaculadamente vincados. E a actual direcção até pode não contar com o perfil dele para as futuras Presidenciais, mas ele não parece precisar disso para nada e já está num patamar onde, por muito que se esforcem, não conseguem beliscá-lo. Está de bem com a vida, e quem nunca se identificou no Starbucks com um nome falso ao pedir um Espresso Roast que atire com a primeira pedra.

Etiquetas: