Quem Ousa, Vence!

"Como se se pudesse matar o tempo sem lesar a eternidade" Henry Thoreau (1817 - 1862) Ano XI

19.4.14

Momentum: "Carpe diem" (1 046)


Scandal começou por parecer uma boa série, mas acabou por se tornar algo demasiado perverso, mesmo para uma obra ficcionada. Primeiro impôs-se com ritmo demasiado frenético, que obrigava a não poder desviar-se o olhar das legendas, ou dos diálogos, mais do que dois segundos, o que deixava o comum dos mortais extenuado no final de cada episódio se pretendia não perder pitada do enredo. Agora, à terceira temporada, a perversidade total e absoluta tomou conta da trama e já muito pouco faz sentido. Não era preciso fazer tanto jus ao nome e exigia-se antes alguma subtileza minimalista.

Etiquetas: