Quem Ousa, Vence!

"Como se se pudesse matar o tempo sem lesar a eternidade" Henry Thoreau (1817 - 1862) Ano XI

26.7.14

Bibliofilia: "Jorge Jardim Gonçalves - O Poder do Silêncio" ( 2014)

[ 95 ] Luís Osório, Jorge Jardim Gonçalves - O Poder do Silêncio, Publicações D. Quixote, 1.ª ed. Maio 2014 (pp. 686). No rescaldo das aquisições do Banco Mello e da seguradora Império, no primeiro trimestre de 2000, e do Banco Pinto & Sotto Mayor, no segundo trimestre de 2000, o BCP faz um reforço de capital com recurso a um novo instrumento denominado de VMOC - Valores Mobiliários Obrigatoriamente Convertíveis. Ou seja, uma emissão de títulos, e não dinheiro, com conversão obrigatória a prazo. Em vez de emitir acções, o que diluiria o património e o valor accionista. Ao preparar a emissão e auditar as contas dos accionistas para procurar a lista de todos os investidores e prever o grau de sucesso da operação, identifica 3 700 off-shores dos quais em dezassete sociedades não foi possível apurar o último beneficiário. "Tinham accionistas, procuradores, mas não o último beneficiário." (p. 437) Como a "cultura do BCP passava por encontrar soluções" (idem) e a "divulgação de crises só serviriam para descredibilizar a casa" (idem), num negócio que assenta sobretudo na confiança, foram encontrados três investidores dispostos a herdar o negócio "receberiam o produto da venda das acções de cada off-shore, metade em dinheiro e metade em obrigações indexadas ao valor das cotações das acções do BCP a um prazo de dez anos e se o valor dessa cotação não perfizesse o investimento, o banco assumiria o prejuízo." (p. 439) Em Maio de 2007, no auge da guerra de poder pelo controlo do Millenniumbcp (marca desde 2003), Joe Berardo celebra um contrato-empréstimo com a Caixa Geral de Depósitos (CGD) de 350 milhões de euros garantidos com 3% das acções do BCP, aumentando a sua partiicpação de 3,88% para 6,72%. A 28 de Novembro de 2007, Joe Berardo apresenta queixa ao Banco de Portugal (BdP) / CMVM lançando a suspeita que mantinham artificialmente o preço das acções em alta emprestando dinheiro a essas sociedades domiciliadas nas ilhas Caimão. Segundo o engenheiro o valor total do capital das off-shores representava menos de 4% do capital do banco. E cada veículo correspondia a 0,2%. E os aumentos de capital de 2000 e 2001 tinham sido realizados por troca de acções e apenas um em dinheiro e nenhuma das sociedades foram a qualquer operação de aumento de capital. Jardim Gonçalves foi ilibado do crime de burla e acusado dos crimes de manipulação de mercado (as acções deveriam de ter sido consideradas como acções próprias no balanço do banco) e de prestação de falsas informações (as acções valorizaram-se e aumentaram a sua liquidez). A escolha (a 25 de Janeiro de 2005) e a presidência ambiciosa de Paulo Teixeira Pinto (de 14 de Março de 2005 a 31 de Agosto de 2007) com o estrondoso falhanço da OPA hostil ao BPI (13 de Março de 2006 a 7 de Maio de 2006), e a de Filipe Pinhal de (1 de Setembro de 2007 a 31 de Dezembro de 2007) com tudo o que se lhe seguiu foram outras consequências.

Etiquetas: