Quem Ousa, Vence!

"Como se se pudesse matar o tempo sem lesar a eternidade" Henry Thoreau (1817 - 1862) Ano XI

30.10.14

Bibliofilia: "Desgraça" (1999)

[ 105 ] J.M. Coetzee, Desgraça (1999), Publicações D. Quixote, 6.ª ed., Outubro 2009 (pp. 229). Dois factos relevantes marcam o livro: o caso que o professor de Línguas Modernas e Clássicas, de cinquenta e dois anos, da Universidade Técnica da Cidade do Cabo e investigador de Byron – a quem se compara na sua fuga para Itália de modo a escapar a um escândalo –, David Lurie, tem com uma aluna, Melanie Isaacs, e a violação da sua filha Lucy, que vive na província, por negros que ainda nutrem um profundo sentimento de ódio pelos brancos, numa África do Sul pós-apartheid. David Lurie nutre um incontornável desejo por jovens raparigas depois de ter saído de dois divórcios. Ao não aceitar pedir perdão pelo caso que o envolve com a jovem aluna, é expulso da Universidade que lecciona e refugia-se na quinta da sua filha (lésbica) na província de Eastern Cape, onde esta viria a ser violada durante um violento assalto à residência perpetrado por três negros. Tendo ficado grávida, aceita a criança e para sua segurança também aceita viver com o trabalhador negro com quem partilhava as terras. Retrato sobre as dificuldades da vida numa África do Sul em profunda transformação e do declínio de um intelectual. Alegoria sobre a propriedade da violência que não é detida apenas por uma facção e não escolhe brancos ou negros.

Etiquetas: