Quem Ousa, Vence!

"Como se se pudesse matar o tempo sem lesar a eternidade" Henry Thoreau (1817 - 1862) Ano XI

25.10.14

Bibliofilia: "A Solução Novo Escudo" (2014)

[ 102 ] Francisco Louçã e João Ferreira do Amaral, A Solução Novo Escudo – O que fazer no dia seguinte à saída de Portugal do Euro, Lua de Papel, 1.ª edição, Agosto 2014 (pp. 164). À partida o problema não é tão grave quando se troca uma moeda fraca (escudo) por uma moeda forte (euro), uma vez que isso gera um incentivo. Ao contrário já é mais complicado. Outra questão relevante é ter apoio de fôlego suficiente para abastecer de nova moeda as necessidades da economia numa luta contra o tempo que evite a corrida aos depósitos bancários. Daí a tarefa ficar facilitada se for de comum acordo com a União Europeia. Aqui a questão tratada não aborda apenas a renegociação / reestruturação da dívida, mas a própria redenominação da moeda. É uma solução mais completa. Para quê reestruturar apenas a dívida se continuamos a ter uma moeda demasiado forte para a economia e não temos os mecanismos suficientes para fazer uma desvalorização cambial para dinamizar as exportações e provocar uma queda dos salários reais pelo efeito conjugado da inflação sem gerar conflitos sociais?

Etiquetas: