Quem Ousa, Vence!

"Como se se pudesse matar o tempo sem lesar a eternidade" Henry Thoreau (1817 - 1862) Ano XI

24.10.14

Quantum Satis: Vícios privados, públicas virtudes (86)

 
Acaba por ser muito difícil, nestes tempos modernos, encontrar histórias tão extraordinárias revestidas de tanta simplicidade em menos de 200 páginas e muitos hectares de floresta. Agora que parece não haver livro digno do nome sem o triplo do papel pintado e a devida infestação de referências culturais que tanto podem ir da astronomia ao surf, da tecnologia à arte, da gastronomia à botânica, ou da astronomia, surf, tecnologia, arte, gastronomia, botânica e temas da actualidade (Thomas Pynchon).

Etiquetas: