Quem Ousa, Vence!

"Como se se pudesse matar o tempo sem lesar a eternidade" Henry Thoreau (1817 - 1862) Ano XI

24.2.15

Cinefilia: "Django Libertado" (2012)

[ 75 ] Tarantino fez (mais) um excelente filme. A inesperada violência, que tão bem consegue expressar, resulta muito melhor no género western. Mesmo comparando com um teatro de guerra, ou de guerrilha, como em Inglourious Basterds (2009). Pressupõe-se que mesmo num cenário de guerra exista alguma ordem, uma certa disciplina, no caos. O ambiente absolutamente selvagem do Velho Oeste é melhor caracterizado pelos esguichos de sangue ou, antes pelo contrário, os espirros de sangue ficam, sem dúvida melhor em pistoleiros, cowboys e caçadores de prémios. Cenários bem construídos e realistas como observado nos revólveres que precedem a Guerra Civil e situam a acção no tempo. Excelente desempenho de Samuel L Jackson como o negro Stephen mais racista que os brancos e hilariante a cena de perturbação do Ku Klux Klan com os capuzes que os sustentam. Ano politicamente correcto para os actores negros com um herói como Jamie Foxx. Embora gigante seja Morgan Freeman e Denzel Washington.

Etiquetas: