Quem Ousa, Vence!

"Como se se pudesse matar o tempo sem lesar a eternidade" Henry Thoreau (1817 - 1862) Ano XI

27.3.15

Ipsis dixit: «Pro captu lectoris habent sua fata libelli»* (188)


*«Os livros têm o seu destino de acordo com o poder de compreensão do leitor»
Terentianus Maurus (séc. II/III d.C)

"Tinha um talento especial para captar a paisagem rochosa, o seu dramatismo implícito e as suas súbitas alterações de luz. Uns traços de lápis e ela tomava forma: a marga o xisto, os limos, o basalto, os calhaus que afloravam nos camposcomo balas. Também sabia desenhar casas, com uma exactidão que para Mary Duane era quase miraculosa. As pessoas que desenhava eram sempre um pouco exageradas na idealização; mais fortes e elegantes do que em carne e osso. Mas as pessoas eram sempre o seu tema preferido, os rendeiros, criados e trabalhadores da propriedade. Era como se os desenhasse como queria que eles fossem: não propriamente como eram, ou como alguma vez haviam sido. Nem sequer, talvez, como gostariam de ter sido, porque nunca lhes perguntava. Desenhava-os, simplesmente. (p. 98)

Joseph O'Connor, Estrela do Mar (2002)

Etiquetas: