Quem Ousa, Vence!

"Como se se pudesse matar o tempo sem lesar a eternidade" Henry Thoreau (1817 - 1862) Ano XI

24.4.17

Momentum: "Carpe diem" (1 302)


O dérbi Sporting vs Benfica do último sábado era a grande oportunidade de vingança para Bruno de Carvalho, Jorge Jesus e "brunetes". O presidente emérito tinha feito tudo bem: incendiado as redes sociais; o treinador tinha preparado o jogo como nunca, o próprio jogo sem pressão era de feição para o lado de Alvalade, pois não havia nada a disputar senão enfiar mais uma facada para a História no rival. O acontecimento trágico, lamentável e abjecto da morte de um adepto leonino italiano da Fiorentina na madrugada da véspera nas imediações do Estádio da Luz faria o resto. Só não contaram com a reacção de Ederson e do árbitro. O guarda-redes do Benfica, aos quatro minutos, alivia mal uma bola para os pés de Bas Dost que obriga a jovem promessa brasileira a cometer pénalti. O árbitro que tão prontamente, e bem, assinalou um pénalti aos quatro minutos nunca mais viu os restantes três não assinalados a favor do Benfica. Desorientados, a verem-se a ganhar tão cedo e a ser beneficiados pela arbitragem, o jogo terminou empatado a um. Um também foi o número de remates enquadrados à baliza do ex-SCP de nota artística e oitenta e seis pontos. Morreu a narrativa. Genial como se usa a incompetência para alastrá-la ao adversário, derrotando-o. E retirando-lhe todos os argumentos. Foi um empate demolidor para o Sporting.

Etiquetas: