Quem Ousa, Vence!

"Como se se pudesse matar o tempo sem lesar a eternidade" Henry Thoreau (1817 - 1862) Ano XI

16.11.16

Momentum: "Carpe diem" (1 283)


Ontem foi divulgado pelo o INE um crescimento de 1,6% do PIB, no período homólogo, e de 0,8% do PIB em cadeia no terceiro trimestre de 2016. Resultados virtuosamente sustentados na procura externa e prejudicialmente muito dependentes de um só sector como o turismo. Hoje as yields sobem, anulando qualquer expectativa de optimismo, muito por culpa da instabilidade política internacional que a eleição de Trump provocou nos mercados. Enquanto o cinto de segurança do quantitative easing do BCE nos acompanhar, estamos salvaguardados. Enquanto a única agência de notação financeira — a canadiana DBRS — nos mantiver o rating fora do lixo, facilita essa tarefa ao BCE. A política de devolução de rendimentos do trabalho e pensões e o aumento de impostos indirectos do actual governo, bem ou mal, aplaudida ou criticável, mantém a esperança que as pessoas sobrevivam, ainda que para apreciar o tão propagado potencial falhanço desta política económica.

Etiquetas: