Quem Ousa, Vence!

"Como se se pudesse matar o tempo sem lesar a eternidade" Henry Thoreau (1817 - 1862) Ano XI

13.8.17

Bibliofilia: "Ensaio sobre a Lucidez" (2004)


[ 130 ]
José Saramago, Ensaio sobre a Lucidez (2004), Editorial Caminho, Março 2004 (pp. 329). Sátira à autoridade governamental e ao poder estabelecido, metáfora da polícia política e da censura, numa cidade capital oitenta e três por cento dos eleitores votam em branco provocando a retaliação do governo, sob a forma de estado de sítio, que apelida esta "insurgência" de cegueira branca. Aos poucos, algumas autoridades vão ganhando consciência como o presidente da câmara, que prematuramente e sem explicação desaparece da trama, ou o malogrado comissário da polícia. A repetição do mote da cegueira branca conduz o autor a fazer a ponte com a anterior obra a partir da p. 188, e ele não o esconde. A ironia dos diálogos dos Conselhos de Ministros só rivaliza com o desprezo do autor pela autoridade não lhe permitir revelar também a ambição dos subordinados.

Etiquetas: